Além dos números

O Biapó em sua Casa é um programa direcionado a trabalhadores do canteiro de obra e suas famílias e tem como intuito proporcionar a melhoria de suas moradias e contribuir para a garantia de uma habitação digna.

Todo mês é premiado um funcionário de cada cidade onde a Biapó tenha obras que somem mais de 20 operários. Lançado em 2010, o Biapó em sua Casa já contemplou mais de 100 trabalhadores.

Ao observar que uma parte considerável dos colaboradores não possuía casa própria e pensando nos direitos fundamentais (alimentação, saúde e educação), o programa abrange as seguintes opções de prêmio:

R$ 2.000,00

em materiais de construção civil caso o mutirão seja realizado pela construtora

R$ 1.000,00

em materiais de construção civil, ou para tratamento médico/dentário, ou curso de formação para o funcionário, cônjuge, filhos ou pais, mediante depósito em conta da instituição/loja

R$ 500,00

em crédito no cartão de alimentação

Para participar do sorteio, o trabalhador deve ser contratado direto da construtora e não possuir falta registrada no mês anterior ao sorteio. As diretrizes do programa também consideram a participação efetiva nas aulas de Educação Patrimonial e Cidadania e no Projeto de Educação de Jovens e Adultos Trabalhadores. Não podem concorrer ao prêmio quem ocupa cargos de mestre de obra, engenheiro, arquiteto, membros da administração e aqueles que já foram premiados uma vez.

Essa ação surge também com o propósito de integrar o funcionário a seus colegas de trabalho, uma vez que as reformas executadas em sistema de mutirão possibilitam o entrosamento entre a equipe de trabalho, aumenta o sentimento de colaboração do grupo e ainda ajuda a fixar dois dos principais valores da empresa: o trabalho em equipe e a valorização do ser humano.

O programa de educação para o patrimônio teve início no segundo semestre de 2008. Com aulas ministradas no canteiro de obras, em horários regulares de trabalho, a iniciativa propicia que todos os funcionários participem da construção de saberes, sem prejuízo de suas atividades fora do canteiro de obras, a partir do conhecimento adquirido por meio de conteúdos fornecidos sobre o bem edificado em processo de restauração, sua história e suas peculiaridades.

As ações de Educação Patrimonial e Cidadania apresentam-se como um conjunto organizado de procedimentos e diretrizes cujo principal objetivo é a valorização do ser humano e de toda sua produção cultural.

As aulas são ministradas por profissionais com formação e vivência na área das ciências humanas aplicadas. Sua metodologia delineia as possibilidades do patrimônio cultural dentro de uma dinâmica contemporânea, em que os bens culturais podem converter-se em elementos fundamentais para o enriquecimento de experiências pessoais e numa melhor compreensão das vivências anteriores de sua própria sociedade.

As aulas de educação patrimonial e cidadania oferecidas funcionam como mecanismos de inclusão social e contribuem para ampliar o acesso de trabalhadores às noções de história das civilizações, das artes, das técnicas e das diversas manifestações artísticas da cultura.

Dentre os objetivos propostos com o programa, estão desenvolver em seus funcionários as seguintes atividades cognitivas:

  • Identificação dos objetos: sua função e significado, juntamente ao desenvolvimento da percepção visual e simbólica. 
  • Fixação do conhecimento percebido e aprofundamento da análise crítica.
  • Desenvolvimento da memória, do pensamento logístico, intuitivo e operacional.
  • Reconhecimento de monumentos e prédios históricos, bem como de estilos arquitetônicos e artísticos.
  • Temporalidade histórica: história das ideias e mentalidades.

O projeto de alfabetização surgiu após a constatação de que alguns funcionários não sabiam ler nem escrever, ou tinham alguma deficiência educacional. Com objetivo de devolver a esses trabalhadores o direito de dar os primeiros passos para educação formal, são oferecidas desde 2008 aulas de alfabetização dentro dos canteiros de obras da construtora.

As aulas são individuais, de acordo com o perfil de cada funcionário e seu grau de instrução, e resultam em um plano de estudo personalizado. Realizadas no horário regular de trabalho, permitem a participação de todos os colaboradores e promovem a capacitação de toda a equipe.

Na Biapó, o projeto educativo alinha-se ao tema da educação para o patrimônio e cidadania. E o ensino torna-se mais direcionado, com palavras e termos que remetem diretamente ao conhecimento específico das atividades de restauração. O aluno é o próprio trabalhador da empresa que, muitas vezes, desconhece o entendimento acerca das noções de patrimônio.

Nesse sentido, a proposta pedagógica de alfabetização tem como base práticas e vivências de aspectos patrimoniais aplicadas às questões do âmbito do trabalho de restauração arquitetônica, a partir de uma perspectiva fundamentada no conceito de “letramento”, isto é, no aprendizado formal por intermédio de palavras, expressões, termos que pertencem diretamente ao contexto em que o educando está inserido, pessoal e profissionalmente.

O projeto tem como finalidade estimular a capacidade de ler e escrever dos funcionários, além de resgatar a dignidade de quem trabalha na empresa. As aulas são ministradas por profissionais contratados especialmente para lecionar e atender à demanda pedagógica dos alunos.

O programa de Bônus Familiar tem como objetivo motivar um maior empenho e a participação dos empregados no cumprimento das metas estabelecidas pela empresa, tendo como contrapartida uma recompensa por meio de incentivos financeiros. Além disso, visa estimular e reconhecer o comprometimento dos funcionários e da equipe para melhorar o desempenho, trazer benefícios à organização e ao relacionamento entre a empresa e o empregado.

Para tanto, é distribuído o montante referente a 3% (três por cento) do lucro líquido obtido pela empresa no ano corrente, computado entre 1º de janeiro e 31 de dezembro. O valor total, em reais, é divulgado no quadro de avisos em todas as obras, após o fechamento do balanço anual. O pagamento ocorre até o fim de maio do ano subsequente.

Há dez anos, a Construtora Biapó enveredou-se no campo da Inclusão Social pelo Trabalho através da contratação de pessoas em situação de desvantagem social para trabalhar nas obras de restauração de prédios históricos, envolvendo parcerias com instituições e comunidades no contexto geográfico onde as obras estão inseridas.

Este programa se alinha às diretrizes das políticas sociais e aos marcos legais, nacionais e internacionais que preconizam a proteção aos direitos humanos e a inclusão das pessoas com deficiência (físicas, mentais e psicossociais), entre outros grupos vulneráveis, no mundo trabalho, como já previsto na Convenção nº 159 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), ratificada por meio do Decreto presidencial nº 129, de 22 de maio de 1991 (BRASIL, 1991); na Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, ratificada por meio do Decreto presidencial nº 6.949, de 25 de agosto de 2009 (BRASIL, 2009), assim como na Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, popularmente conhecida como Lei de Cotas. Como marco inicial destas experiências, podemos citar duas obras no Rio de Janeiro.

A primeira no ano de 2009, no Instituto Benjamin Constant (IBC) – originalmente intitulado Imperial Instituto dos Meninos Cegos. Na ocasião, foram contratados cinco trabalhadores com deficiência visual por meio de uma bolsa-auxílio, em regime de trabalho de meio período, na função de aprendiz, no canteiro de obras.

A segunda experiência de inclusão foi em 2011 na obra de restauração do Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES), quando a construtora contratou colaboradores com deficiência auditiva no regime de Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) para período integral, nas funções de auxiliar de serviços gerais, pintor, ajudante e pedreiro.

Em 2015, a Construtora Biapó iniciou a restauração arquitetônica e artística do Palácio Universitário da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Tomando como referência os valores patrimoniais e culturais do edifício, sua memória e vocação, a Biapó decidiu dar continuidade ao programa de Inclusão Social pelo Trabalho, iniciando uma nova etapa por meio da oferta de seis vagas de trabalho para pessoas com transtornos mentais em tratamento na Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) (BRASIL, 2011) da cidade do Rio de Janeiro, conforme a legislação vigente (art. 93 da Lei nº 8.213/91). Esta iniciativa nasceu como possibilidade de resgate do uso original da edificação como Hospital Psiquiátrico, isto é, de ressignificação de sua história, no âmbito da sua comunidade, e das atividades de ação e reflexão ali desenvolvidas.

O programa Canteiro Aberto teve início na obra de restauração da Igreja Matriz de Pirenópolis (GO), logo após o incêndio ocorrido em 2002. Após um período de realização da ação e montagem da exposição, a visitação foi aberta em 2004. Nos dois anos que se seguiu, mais de 52 mil pessoas tiveram a oportunidade de adentrar ao monumento em obra e desfrutar de uma exposição que cumpria o duplo papel de envolver a comunidade com o restauro, ao mesmo tempo que cuidava de ajudar a cicatrizar as feridas emocionais causadas pelo acidente de grandes proporções.

A iniciativa consiste na abertura dos canteiros de obras da empresa para visitação pública. A ideia é envolver a comunidade no processo de restauro durante a realização da obra, tornando públicas as ações e decisões.

Para divulgar o processo de recuperação patrimonial, são montadas exposições gratuitas no interior da obra, compostas por fotografias e painéis informativos sobre as metodologias adotadas.

Diante da compreensão de que restaurar monumentos históricos significa fazer reviver o passado e a autoestima de uma comunidade local, a abertura do canteiro de obras para o público oferece uma oportunidade de vivenciar o processo de recuperação do bem edificado, possibilitando maior inserção e identificação dos moradores em suas cidades ao observarem o cuidado com o qual o trabalho de restauração é desenvolvido, motivando atitudes mais responsáveis em relação ao patrimônio.

A Construtora Biapó adota, desde sua fundação, uma postura socialmente responsável na condução de seus negócios, considerando os interesses de todos os grupos afetados por sua atuação: empregados, fornecedores, clientes, comunidade, sociedade e meio ambiente. Nosso compromisso com o mercado vai além da restauração de monumentos e obras de arte. Por isso, acreditamos que a qualificação profissional não é apenas um conjunto de conhecimentos técnicos e habilidades, uma vez que inclui a relação dos indivíduos com seu contexto social, construído em determinados campos de valores e representações do mundo. Dessa forma, buscamos construir cidadãos mais confiantes e preparados para a vida profissional e social.

Os princípios e as práticas da cidadania e responsabilidade social foram incorporados na gestão por meio do desenvolvimento e da implementação de programas de ações sociais focados no fortalecimento da educação, cultura e qualidade de vida.

Todas essas atuações foram sistematizadas no Programa Biapó Além dos Números, dividido hoje em dois eixos de atuação: ações internas, que envolvem o Biapó em sua Casa, as aulas de Educação Patrimonial e Cidadania, Alfabetização de Jovens e Adultos Trabalhadores, Bônus Familiar; e ações externas, com Inclusão Social pelo Trabalho e Canteiro Aberto. Tais iniciativas compreendem hoje o conjunto de ações gerido pelo Instituto Biapó, um novo modelo de gestão.

Os resultados obtidos no decorrer desses programas sociais representam o orgulho e a satisfação de todos da empresa, e ainda, foram condecorados com importantes premiações.

Prêmio SESI de qualidade no trabalho – 2012
Categoria: gestão de pessoas – média empresa
Instituição concedente: Serviço Social da Indústria – SESI
Programa Biapó em sua Casa

Prêmio SESI de qualidade no trabalho – 2012
Categoria: educação e desenvolvimento – menção honrosa
Instituição concedente: Serviço Social da Indústria – SESI
Programa Educação para o Patrimônio

Prêmio SESI de qualidade no trabalho – 2010
Categoria: inovação – 2º lugar – empresa de médio porte
Instituição concedente: Serviço Social da Indústria – SESI
Programa Canteiro Aberto

Acesse nossos canais digitais