Não consegue visualizar Clique Aqui
Ano IV Edição nº 23 - Março de 2012
Programa Biapó em sua Casa melhora as condições de moradia de seus funcionários image1
A Construtora Biapó, atenta aos valores da preservação da história, do trabalho em equipe e da valorização do ser humano, desenvolve diversos programas voltados para a consolidação dos mesmos.

Nesse contexto, a construtora procura valorizar seu quadro de funcionários, consciente de sua importância em todo esse processo, e adota diversas ações para alcançar esse objetivo.

Uma dessas ações é o Programa Biapó em sua Casa, criado em 2009 para melhorar as condições de moradia de seus funcionários, sorteando todos os meses um prêmio no valor de R$1.500.00 em materiais de construção.

Desde sua criação, cerca de 30 trabalhadores já foram premiados nos estados onde a empresa atua e puderam melhorar suas casas, reforçando a estrutura, fazendo ampliações e reparos de manutenção com a ajuda técnica dos profissionais da Biapó, que unidos fazem tudo em regime de mutirão.

Para contar as estórias dos trabalhadores que concretizaram seus desejos de melhorar suas condições de vida, vamos publicar esta reportagem em duas partes, e essa é a primeira delas.

As estórias
Em março de 2009, a chuva destruiu a casa do servente na restauração do Hotel Glória, João dos Santos (Bigode), localizada no bairro de Jardim Gramacho, município de Caxias, Grande Rio.João dos Santos “Fiquei todo bobão quando recebi a notícia”, lembra Bigode. Foram os colegas de trabalho do Hotel Glória que, juntos construíram uma escada, além de instalar uma porta, uma janela e emboçar um dos quartos de sua moradia. Pode-se dizer que Bigode teve o privilégio de contar com a “tropa de elite” da Biapó; os trabalhadores que compareceram na sua casa para o mutirão são um time de ponta na mão de obra da empresa: o supervisor de obras Sandro Cunha, o restaurador Carlos Nunes, o mestre de obras Silvane, o montador Sarrafo, e ainda Zé Pequeno, Trakinas e Luciano. Joel Pereira trabalhava como armador na obra do Rio Office Park, em Jarepaguá, quando foi sorteado e

construiu um muro no entorno de sua casa. Pedreiro na Casa da Moeda, Severino Martins, que atribui à sua grande fé em Deus suas conquistas pessoais e profissionais, fez questão de manifestar sua gratidão e fixou na parede de sua casa uma placa em homenagem à Biapó, por ter recebido o prêmio que permitiu construir três novos cômodos para acomodar melhor a família. Severino Martins “Eu estava com uma obra parada lá em casa. O prêmio veio na hora certa. Orei a Deus, acreditei que ia ganhar e ganhei mesmo,” conta Renato Terto, servente na Casa da Moeda e morador de Deodoro, que pode comprar todo o material que faltava e terminá-la, dispensando a ajuda dos colegas. Antônio de Souza Paiva (Tonho), carpinteiro e morador do Morro da Providência, também foi outro que optou por fazer tudo sozinho.

Solidariedade
Edmundo Bezerra Manoel Barcelos

No momento do sorteio, a casa de Edmundo Bezerra estava na iminência de ser demolida pelo Governo do Rio por estar localizada em uma área de risco no Morro da Providência.

Já que ele receberia uma indenização, e sua segunda casa estava em muito bom estado, ele foi solidário e negociou com a Biapó para transferir a premiação para José Ilton Vidal, o Sarrafo, seu colega de trabalho e vizinho no Morro da Providência. “Tenho dois filhos, rapazes. Meu plano era ir comprando o material de construção devagarinho. Primeiro com o adiantamento e com o salário, depois juntando com o décimo terceiro, para pagar um pedreiro para fazer um quarto separado para minha filha mais nova,” conta Manoel Barcelos, servente no canteiro de obras do Instituto Nacional de Educação dos Surdos (INES) e morador da Vila Cosmos, na Baixada Fluminense. Seu desejo foi realizado em pleno Natal.

Wilson José dos Santos é carpinteiro e também atuava na restauração do INES, quando a bolinha com seu número caiu de dentro do globo giratório durante o sorteio mensal. “Foi uma alegria imensa, né? Eu comentava aqui em casa que se a gente por acaso fosse

Wilson dos Santossorteado, eu ia dar preferência àquele lado ali, que é o lado mais difícil,” lembra ele. A equipe de profissionais da Biapó chamou a atenção da vizinhança, ajudou a divulgar o programa no bairro e até provocou comentários engraçados. Uma conhecida que passava em frente à casa de Wilson e viu aquele time de trabalhadores, concluiu: “Ele deve estar rico pra pagar esse monte de pedreiro!”
Obras em outras cidades

Pedro de Souta

Foi Pedro de Souta Otta, o Seu Peu, quem inaugurou uma novidade no Programa Biapó em sua Casa, a possibilidade de realizar obras em outra cidade, onde mora a família. Ele mora no Morro da Providência, mas seu verdadeiro lar está no interior da Paraíba. Com o prêmio, ele comprou o material de construção e melhorou a estrutura da casa em que moram seus pais e toda a família. Joel Pereira (Vermelho) também foi mais um sorteado cuja casa fica em outro estado. Ele organizou sua obra à

distância e refez o piso da casa de seus avós, em Buruti Bravo, cidade próxima a São Luiz do Maranhão. “Se for 29 é meu, hein!”, brincou Jerônimo Gomes da Costa (Tangerina), que, para espanto geral, acertou. O globo girou e deu 29, conforme sua previsão, e em um dia seu telhado novo ficou pronto, o que foi devidamente comemorado com um churrasco oferecido aos colegas que participaram do mutirão. “Ficou mais fresco depois que fizemos o telhado”, comemorou.Jerônimo Gomes
Presença no trabalho e boa sorte

Luiz Felipe, morador do Catumbi, foi o primeiro da área de pintura a ser premiado. “Eu queria agradecer à Biapó por ter oferecido esse prêmio, por gentileza e por merecimento como funcionário”, disse, referindo-se à contrapartida exigida pelo programa: o funcionário não pode faltar ao trabalho para ter direito ao prêmio.

A sorte costuma acompanhar Ubirajara Pimentel, servente na restauração do INES, com serviços prestados também no almoxarifado, local em que desempenha a função de organizar, distribuir e controlar as ferramentas e equipamentos da obra. O tempo em que os problemas pessoais prejudicaram sua assiduidade no trabalho já passou, e ele pode investir o prêmio na reforma de sua casa. Em um sorteio anterior, comemorativo da empresa, ele havia ganhado uma TV de 42 polegadas

A boa sorte também sorriu para o pedreiro Adriano Ferreira de Oliveira, que precisou desligar-se da Biapó para cuidar da saúde de sua esposa e cumpria o aviso prévio, quando teve a boa notícia do prêmio, investido em um telhado de estilo colonial.

Após a recuperação de sua esposa, os dois juntos criaram um blog para divulgar a experiência de Adriano e publicou o certificado concedido pela Biapó, atestando sua competência em serviços de restauração patrimonial. Não demorou muito para que uma arquiteta, Andrea Marques, se tornasse sua cliente.

“É difícil achar alguém especializado”, declara ela. Atualmente, Adriano já obteve sua licença para abrir sua microempresa, e mantém contato com arquitetos da Biapó. Outros três funcionários já foram sorteados pelo programa, Hernandes Silva, José Pereira Sales e Antonio Cesar de Araújo, e estão planejando o início de suas obras. Em breve, teremos mais pessoas em condições melhores de moradia, desfrutando de mais qualidade de vida. São essas histórias que fortalecem o compromisso da Construtora Biapó com seus funcionários, tornando-a uma empresa amiga com um bom ambiente de trabalho.Ubirajara Pimentel
Luiz Felipe Adriano Ferreira

Expediente

Biapó Notícias é um orgão de informação da Construtora Biapó Ltda. Coordenação editorial: Adriano Carvalho. Jornalista Responsável: Armando Araújo GO0554 JP. Textos: Armando Araújo, Adriano Carvalho, Leonardo Rodrigues e Cláudia Nunes. Colaboração: Bartira Bahia e Camila Furloni. Fotografias: Felipe Cohen e Wandilson Guimarães. Revisão: Julieta Garcia. Diagramação: Sofia Franco.

Rua Dr. Olinto Manso Pereira nº 206 Setor Sul - CEP 74.086-105 - Goiânia - Goiás.
Contato | (62) 3241-0575 - contato@biapo.com.br
Quero cancelar minha inscrição! Clique Aqui