Biapó promove exposição de esculturas em madeira de Sandro Cunha

Com apoio do Ministério da Cultura, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, a Construtora Biapó apresenta a exposição de esculturas em madeira do artista Sandro Cunha.

A abertura oficial acontece no dia 20 de julho, às 18 horas, na Sala de Arte Sacra da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, na cidade de Vassouras (RJ). E a visitação estará aberta de 21 de julho a 8 de agosto (das 12h às 16h). Para fazer o agendamento de grupos de visitantes, entre em contato pelo e-mail eventos@biapo.com.br

 

Sandro Cunha

A carreira do artista popular Sandro Cunha iniciou em Hidrolândia, no interior da Bahia. Grande parte de sua família trabalhava em uma oficina de lanternagem próxima a uma marcenaria. Aos 11 anos, ele já se encantava com a arte de transformar madeira. Da observação, converteu a matéria-prima em letras, construindo nomes, seu primeiro passo rumo à arte popular.

Mais tarde, em Pilar de Goiás, teve contato com a Construtora Biapó, que realizava à época o restauro da Igreja Matriz. O escultor, além de dominar a técnica de forma autodidata, deu forma a seus sentimentos. A inspiração e o domínio da técnica são seu maior critério de valor, segundo a historiadora Marília Chang.

Sua primeira escultura foi uma carroça puxada por um burrico. Peça simbólica que representa o trabalho árduo que sempre cercou sua vida. Sem perceber, a religiosidade estava ativa em sua arte. Seu olhar cada vez mais aguçado e atento ganhou destaque no trabalho de restauro de obras de personagens que marcaram sua vida.

A primeira personalidade que lhe causou grande inspiração foi o artista Veiga Vale, sentimento este materializado na peça São Joaquim de Botas– precursora em seu caminho na arte sacra. Nos idos de 2000 teve a oportunidade de trabalhar no restauro das peças do grande mestre Aleijadinho, em Congonhas do Campo (MG), o que o consagrou na estrada da história de vida dos santos e definitivamente na arte sacra.

Sandro Cunha é tão apaixonado por madeiras que é capaz de usar mais de um exemplar na mesma peça, demonstrando essa mistura somente através da diferenciação das cores. A produção de peças únicas, fruto da criação individual e do compromisso do artista, resultou em peças excepcionais que merecem ser apreciadas.

Leave a reply